segunda-feira, fevereiro 16, 2009

Letreiros





As casas atapetadas de letreiros
Vende-se, dizem, como páginas brancas
Que ninguém jamais quer realmente ler
Ao sol frio da manhã improvável
Que trabalho não daria decifrar
Estes códigos da crise universal
Quão melhor não é crer-se no limbo
Ignorar enciclopédias, documentários na TV
Os letreiros como sinais encriptados de apocalipses
Aos berros, profetas modernos a gritar
Em bairros pobres no espírito apagado
Perfurados por ondas hertzianas e SMS
E aos domingos vão às hortas em shopping centers
Em implosão total, solução final
Onde não chega a angústia soluçada dos letreiros


Imagem de: http://contrafactos.blogspot.com/.

1 Comments:

Blogger Maria P. said...

Fantástico!


Beijinho*

9:36 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

advertising
advertising Counter