terça-feira, janeiro 13, 2009

Abril morreu doente





Escrevo numa folha manchada
Uma escrita tão contaminada
Que nos macula os sentidos
Nos dias cansados, perdidos
Das miragens repetidas
Das promessas incumpridas
E a escrita desfaz-se em nada
E não há rua nem estrada
Que nos conduza a bom porto
O sonho já nasceu torto
A liberdade omitida
A igualdade subvertida
A justiça escarnecida
E o povo de olhos vendados
E os dias amordaçados
E Abril morreu doente
E vírus rima com gente


Imagem de: www.unknown-days.com.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

advertising
advertising Counter