terça-feira, maio 23, 2006

Marilyn


Que bela e sensual pilha de ossadas,
Polidas, curvilíneas, desejáveis!
Certamente, porque a morte é mais real
Que o fino celulóide museológico...
O que já foi, já foi. Se foi...
O que é, nunca chega realmente a ser.
Mas o cálcico testemunho da existência
Contradiz o tempo e é pó de estrelas...
Logo, luminoso. Logo, inolvidável.
Que triste pode ser este percurso...
Existir é passar a correr pela eternidade.
Ninguém tem respostas nem explicações
E nem creio que de tal haja necessidade.
É nos epitáfios que se lê a realidade.


Imagem de http://simonperry.org.

2 Comments:

Blogger Lila Magritte said...

Genial.

1:44 da manhã  
Blogger Jorge Simões said...

Bom... Comentários destes fazem bem à alma! :) xxx

1:46 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

advertising
advertising Counter