segunda-feira, maio 22, 2006

Laudanum


Vêde aquela dama sorvendo láudano
Verde, talvez, o entorpecimento
Como se dilui na doce penumbra
E se torna una com o universo

Ela é, agora, o coração do verso
O verbo anónimo de olhos cerrados
Vogando entre vagas assimetrias
Onde tudo é ordem e vera beleza

Onde tudo é som, linhas e leveza
Ave migratória, suave tristeza
Alegria abstracta, desconcertante
Somos, fúria e paz, um tempo distante


Imagem de www.echo-online.de (Johnny Depp em From Hell).

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

advertising
advertising Counter