terça-feira, abril 10, 2007

Vaidade




Tem cuidado quando olhares, se olhares,
Pois olharás, certamente, para alguém.
E cuidado com os gestos... Se tocares
Na vizinha, serás visto com desdém.

Tem cuidado ao falares, se falares,
Pois estarás certamente usando maldizer
De todas e de cada. Quando te calares
Lembra-te: fazendo-o, estar-te-ás a fazer.

Todo tu és assédio sem saberes,
Que o sexo é virulento, é tifóide.
Há uma polícia, uma inquisição, nos seres...
Chama-lhe vaidade ou idiotia paranóide.


Imagem de www.surrealcorner.com (tela de Gil Marosi).

1 Comments:

Anonymous Anónimo said...

a sua poesia é muito legal viu

7:45 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

advertising
advertising Counter