sexta-feira, março 23, 2007

Eles




"Não há mercado!"
"Não há trabalho!"
"Eles é que mandam!"
E não há poesia
Porque matam a poesia
E ninguém lhe chora a sorte.
E não há vivalma
Pelo genocídio absoluto
Que não passam na TV.
Não há nada mais no mundo,
Só fábricas algures na China,
Bancos e multinacionais.
E a cada verdade gelada
Do anónimo da mesa ao lado
Morre ele mesmo e todos nós,
Morre a beleza no mundo,
Morre a esperança, a humana esperança,
Nesta terra de robots.


Imagem de www.guttertype.com.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

advertising
advertising Counter