sábado, dezembro 18, 2010

O reformado





Regressa ao local de outras vidas
Como um ladrão amador
Roubando imagens perdidas
No seu cérebro fingidor

E vai-se de mãos vazias
Cheias de falsos presentes
Caminhando em manhãs frias
Entre folhas transluzentes

Julga captar simpatias
Com um sorriso muito amável
E juventudes tardias
Num universo imutável

Tudo na sua existência
É uma rima cruzada
Feita de alegre impotência
E plenitude de nada


Imagem de: http://static.flickr.com (foto de pedrosimoes7).

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

advertising
advertising Counter