domingo, março 08, 2009

Sinto pena das crianças





Sinto uma pena imensa das crianças enjauladas
Em parques naturais, com bilhete e com porteiro
Pai, não posso aproximar-me porque aquele pássaro pica
O que é aquele animal, uma cabra, o pai explica
Os animais espreitam pelas frechas apertadas
E os meninos sorriem um sorriso prisioneiro

Vejo-me numa tina, no meu banho semanal
Coberto do pó grosseiro que os carros de bois arrastam
As mulheres com os cântaros na cabeça a equilibrar
Os homens com as sacholas e os copos a esvaziar
Jogando cartas à noite num café artesanal
E em manhãs de fino orvalho as ovelhinhas que pastam

Sinto uma pena triste dos servos da organização
Que buscam a natureza em áreas de supermercados
Com as vidas penhoradas e dogmas do que é salutar
E as crianças controladas, fingindo que estão a brincar
E os parques naturais com o cimento rente ao chão
E os animais curiosos, os animais libertados


Imagem de: www.innovativechildrenstherapy.com.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

advertising
advertising Counter