quinta-feira, janeiro 22, 2009

Chuvisco



Nas fontes secas da Antiguidade
Por entre cigarras e olivais
Entre laranjais e ecos de saudade
Vibram sóis altivos, meridionais

Clio percorre férteis pradarias
Altas montanhas, vastas enseadas
Sombras furtivas e ruínas vazias
E em todo o lado histórias são narradas

De paz, de guerra, de amores imortais
De vinho escorrendo e de gente rindo
De danças, canções, folclores nacionais
Da brisa que adocica o tempo infindo

E entretanto, aqui, na cidade triste
Cai miudamente uma chuva fria
Que é tudo o que há, tudo o que persiste
Na alma europeia que mal alumia

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

advertising
advertising Counter