terça-feira, março 13, 2007

Se somos todos iguais




Se somos todos iguais
Como achas convictamente
É igual quem arrisca mais
E quem tudo exige indolente

É igual a luz do sol
Ao inverno e à escuridão
E a coruja e o rouxinol
Cantam a mesma canção

Quem sabe porque aprendeu
É igual ao principiante
E o rato, que rato nasceu
É igual a um elefante

E enquanto nos degladiamos
Governam-nos sem piedade
Os gordos corruptos, tiranos
Que impingem a igualdade


Imagem de www.wishihadthat.com (tela de Louis Icart).

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

advertising
advertising Counter