sexta-feira, Janeiro 12, 2007

A uma princesa


Em teus olhos mouros de noite calma,
Em beijos lançados no ar e nos lábios,
Em gritos exactos como astrolábios,
Encontro aquele porto onde repousa a alma.

Balouçando como uma bailarina
Entre a tristeza e a alegria perfeitas
Recolhes a mais bela das colheitas:
O seres quem és, luz que te ilumina.

Princesa forte, sensível, real,
Que segredos guardam teus universos?
Que sonhos inventas de ouro e cristal?

És a inspiração e os próprios versos
Que fluem livres num imenso caudal
De correntes fundas, mares insubmersos.


Imagem de www.hyattmoore.com.

3 Comments:

Blogger Lila Magritte said...

Maravilloso. Como siempre, me cautivas con tus poemas.

11:49 da tarde  
Blogger Maria P. said...

Maravilha! Este seduz.

Beijinho.

11:15 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Por razões óbvias, este foi dos mais lindos poemas que fizeste!

Parabéns.

Princesa

11:31 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home

advertising
advertising Counter