sábado, fevereiro 11, 2006

Dor de pensar

Passo junto a uma gorda e penso: "gorda!".
Passo junto a um ignorante e penso: "ignorante!".
Passo junto a um bandalho e penso: "bandalho!".
Passo junto a um novo-rico e penso: "novo-rico!".
E estou sempre a passar e a pensar...
Penso de forma tão crua, tão sucinta,
Automática como a engrenagem de uma fábrica sombria,
Sempre oleada, sempre revista por engenheiros eficazes...
Sou uma verdadeira revolução capitalista chinesa
Na conquista compulsiva do mundo conhecido!
E estou sempre e sempre a passar junto a mim mesmo
E a pensar, a pensar, a pensar, a pensar,
A pensar tanto numa dor tão profundamente aguda
Que, como direi?, me dói agudamente pensar.
Cala-te pensamento! Preciso de descansar...



Imagem de www.berkaweb.com.

Poema de Joaquim Camarinha

1 Comments:

Anonymous Mae said...

Cala-te pensamento, preciso descansar...
Puxa...realmente voce é uma máquina de produção de poesia para todos os gostos...
As palavras saltam-lhe do pensamento com uma velocidade impressionante...
Continuo a engolir Camarinha...
Um abraço

4:01 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

advertising
advertising Counter