sexta-feira, junho 30, 2017

A arte não morreu antigamente


A arte não morreu antigamente
No bloco ilusório ilimitado
Que é o espaço-tempo dos sentidos
Talvez eu me tenha deslocado
Talvez eu me tenha transformado
Ou talvez já existisse inteiramente
E a arte não morreu antigamente
Bendita seja a criação eterna
Na sua perfeita imperfeição
E a moda e o fluxo e a ilusão
E o final juízo que nos mói
E a arte do prazer mesmo se dói
Louvadas sejam todas as correntes
E as suas searas e sementes

Imagem de: www.emerson.com

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

advertising
advertising Counter