quarta-feira, janeiro 04, 2012

Plantas


Em plumagens multicoloridas, quentes, frescas
Ascendendo sempre aonde o sol rodar
Devem, certamente, ser intensamente antigas
Mais que o próprio sol na criação dos mitos;
Elas, espalhando materialidade e o etéreo
Dominando a vida e os ritmos construtores
No silêncio restolhado do planeta
Budas sobre o Buda e sobre o jade
A inteira preciosidade pouco apercebida
Ondulando antes das ondas e das nuvens
Conjugando tudo o que é primordial
No início, meio, fim, na mente...


Imagem de: www.byronjorjorian.com. 

2 Comments:

Anonymous Anónimo said...

gosto imenso dos seus poemas, mas deste em especial.

acho que nos deviamos encontrar para conhecermos melhor a nossa veia poeta.

Beijocas

9:20 da manhã  
Blogger Jorge Simões said...

Estou totalmente indisponível. Agradeço, no entanto, os elogios à minha poesia.

2:13 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

advertising
advertising Counter