domingo, abril 24, 2011

Páscoa II


Mataram o cordeiro, sim
Na redenção pastosa do frenesim
Vermelho em que os sonhos todos morrem
E falsos xamãs enchem as ruas que percorrem
De sinos, foguetes, paramentos, rituais
E espíritos obviamente tão carnais

Mataram o cordeiro, o próprio Pai
E os seus exércitos de aves de rapina
Para servir o rumo, para cumprir a sina

Imagem de: www.allartclassic.com (detalhe de tela de Hieronymus Bosch).

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

advertising
advertising Counter