sábado, junho 13, 2009

As musas





Há locais como fluidas nascentes
Onde as musas conspiram reunidas
Sussurrando mistérios aos presentes
Que inventam universos como vidas

Podem ser a esquina de uma rua
Esplanadas na cidade ou à beira-mar
Um ermo de onde se avista a lua
Um quarto onde o sol não logra entrar

Elas têm caminhos insondáveis
Essas musas vagas e mentais
Que disfarçam de emoções fortes, palpáveis
As construções das coisas racionais

E há outros sítios, belos porventura
Dignos de postais de cor e alento
Onde tudo é oco, nada é aventura
E o poeta é uma pedra seca ao vento

Quem de fora observa sem saber
Crê que tanto faz, qualquer local
Mas as musas são cruéis no seu escolher
E amam ou desprezam por igual


Imagem de: www.wga.hu.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

advertising
advertising Counter