quinta-feira, novembro 20, 2008

Migrações





Gosto de ver os troncos nus das árvores engolindo
Os raios de luz fria outonal que vão caindo
Do céu que subentende o sol num fundo azul
E sonhar-me de asa aberta em direcção ao sul

Perpétua migração das almas pensamentos
Que pairam no destino como pairam ventos
Nas altas camadas vagas rarefeitas
Que cobrem o mundo de roupas desfeitas

Partimos então juntos firmes abraçados
Por caminhos largos e por descampados
Para portos distantes que nos gritam cores
E ao sol todo a pique consomem-se amores

E é lá entre laranjais e especiarias
Entre os burburinhos e as harmonias
Longe das cidades cinzentas de agouros
Que em paz viveremos os dias vindouros


Imagem de: www.vivien-und-erhard.de.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

advertising
advertising Counter