sexta-feira, novembro 21, 2008

Formigueiro

Tanta gente se revela, de súbito, tão responsável! Sairam todos do formigueiro e começaram a zoar sentenças num ruído ensurdecedor... Normalmente, são os melhores, os mais esforçados, os mais competentes. Para eles, os outros, os incompetentes, que se danem. Estão a mais e têm que "ser postos na ordem" ou simplesmente ser ostracizados para fora do sistema. Pouco importa que o mesmo sistema lhes tenha permitido ser como são - ou não são - durante as suas vidas inteiras... Não se trata de ser razoável nem humano, mas tão só de ser absolutamente eficaz. Regra geral, deixo-os falar, já que não creio ser possível contrariar a fé. Porque de fé se trata, como a cientologia, a Opus Dei ou a Inquisição. No entanto, prefiro um mundo menos eficaz de gente livre do que um mundo de aparência eficaz, povoado de gente oprimida.



Tanta gente se encontra de repente responsável
Exemplares-modelo de formiga descartável
E à pobre cigarra tão inepta e deslocada
Resta travestir-se de formiga mal amada

Fim ao riso à música à palavra e às artes
Quem não se conforme pode ir para outras partes
Deve acabar a vida miserável e andrajoso
Quem não saltar às ordens de um sargento pegajoso

Se o egoísmo e a hipocrisia fossem tributáveis
Num mundo tão esquecido de gestos amáveis
Que cheios não estariam os cofres-fortes do estado
Que quer o homem vago crédulo e calado



Imagem de: http://animal.discovery.com.

2 Comments:

Blogger Maresia said...

Concordo!

8:16 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Potente, gostei!
Nénix

9:21 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

advertising
advertising Counter