quarta-feira, julho 16, 2008

Esplanada





Passa a brisa extemporânea
Na rua contemporânea
Alagada de calor
E as pessoas falam alto
Falam quase em sobressalto
Na esplanada ou onde for
Passa uma mulher obesa
Que eu vejo da minha mesa
Com a mochila descaída
E um heroinómano indolente
Pede moedas à gente
E está sempre de fugida
Passam moças tatuadas
E homens de expressões cerradas
Falando por entre os dentes
E passam gatos e cães
E filhos com as suas mães
Choramingando presentes
E estão todos de passagem
Como a vida que é uma imagem
Em constante mutação
Passa o calor e o frio
E o mundo fica vazio
Enquanto muda a estação


Imagem de: http://intimo.blogspot.com/.

2 Comments:

Blogger Débora Ramos said...

Oiie... axei muito legal o teu blog... por isso coloquei ele na minha lista de blogs preferidos! Coloca o meu na tua lista tbm por favor? O endereço é http://debie-ramos.blospot.com/
Bjão... =]

12:33 da manhã  
Blogger Amanda Ferreira said...

Olá.
Sou uma fanática por poesia, logo que vi, adicionei-te aos meus favoritos.
O endereço é http://sonhandoutopias.blogspot.com
Entre lá.
Beijos.

6:01 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

advertising
advertising Counter