terça-feira, outubro 03, 2006

Carnaval 2005

As minhas desculpas por andar demasiadamente absorto com problemas da vida dita real para conseguir compor novos poemas. E um obrigado por me continuarem a visitar... Até logo que possível!



BAÚ DE MEMÓRIAS




No tempo em que as serpentinas lançavam
As suas longas línguas às cores pelos ares
Nesse tempo, havia flores nos patamares
E as crianças, também eu, ainda brincavam

Ai, quem me dera o meu pai e o circo delirante
Onde as feras saltavam ao “ei!” do domador
E onde tudo era festa e alma e cor
E tornar a casa, ao lar aconchegante

Nos dias de hoje, essas feras já morreram
Como o meu pai e tantos que o conheceram
Varridos pelo vento frio do Inverno

E eu, entretanto, vivo no inferno
Que é o que está reservado aos que cá estão
Um circo de feras onde somos a refeição


8 de Fevereiro de 2005




Imagem de http://pittsburghsigns.org (fotografia de Mark Stroup).

4 Comments:

Blogger Maria P. said...

Eu espero...

Beijinho:)

"emaila-me" se te apatecer.

9:45 da tarde  
Blogger Lila Magritte said...

Los buenos poemas son buenos siempre, no importa la fecha. Abrazos y que todo salga bien.

5:07 da tarde  
Blogger Maria P. said...

Ainda espero por ti...

Beijinho:)

11:26 da tarde  
Blogger Jorge Simões said...

Poderá ser necessário esperar um bom bocado... Não sei... Estou num daqueles momentos, possivelmente prolongados, de vácuo espiritual. Nada que um bom equilíbrio financeiro não resolvesse, mas a vida não está para isso. Obrigado por estares (estarem) aí, de qualquer modo. Beijinhos.

6:33 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

advertising
advertising Counter