segunda-feira, maio 01, 2006

Brinquedos abandonados


Não é dramático, mas a cangalhada,
Bugigangada, pedaço da infância encaixotada,
Perdeu-se numa garagem atapetada de fungalhada
E se alguém me ralhou, já me esqueci...
O sol pôs-se e não o vi.
Nasceu, de manhã, quando dormia,
E recordo-o como um filme
Cujas cores começam a desbotar.
Nasce e põe-se no céu intemporal.
Cartas de jogar cobrem quadrados do passeio,
Anárquicas nas suas posições contorcionistas...
A vida é um jogo. Não queres jogar?
Muito honestamente? Prefiro dormitar.


Imagem original de www.speakeasy.org.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

advertising
advertising Counter