quinta-feira, abril 20, 2006

Elegia nº 3 (ao João Cordeiro - pintor)


O vento varreu mais uma folha...
Caem todas, todos os dias,
Do cimo de pontes e arranha-céus,
Do topo da vida, do degrau de baixo,
Deixando histórias e imagens soltas
Que qualquer borracha apagará.
Quem se lembra concretamente da floresta?
Eis-me rodeado de fantasmas, vivos e mortos,
Gemendo, lancinantes, nos meus pensamentos,
Que doem, ruidosamente, ruidosamente,
Da criação à recriação...
São gotas de água em torneiras avariadas
As minhas palavras, estas quase-dislexias,
Monumentos a soldados desconhecidos.
Caiu mais uma folha, rodopiou, tremeu,
Estacou e já se afundara...
Não imagino quem fosse,
Não imagino mesmo nada...
Alguém chega e varre as folhas
E quem o pode culpar?


Imagem original de http://community.webshots.com (foto de xxvxxsfaith).

2 Comments:

Blogger Lila Magritte said...

Las hojas son barridas o la propia tierra las absorbe, una a una.

4:38 da tarde  
Blogger Maria P. said...

Por vezes sinto estes sentimentos em mim, tão bem escritos por ti. Apenas mais uma folha... é isto que eu sinto.!

Lindo!
Bjo.

6:44 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

advertising
advertising Counter