quarta-feira, março 21, 2012

Mais um prémio para os mesmos

Armando Nascimento Rosa, insigne dramaturgo nacional, ganhou o prémio literário mixuruca Aldónio Gomes, instituído pela Universidade de Aveiro. Mixuruca porque não concede qualquer espécie de prémio (salvo a oferta de 20% - até 500 exemplares - da edição ao vencedor) e porque lhe rouba os direitos de autor. Não é porque tenha concorrido em três vertentes (poesia, ensaio e romance) e me sinta um pouco injustiçado (como se sente quem já tem muitos anos de vida e já viu demais, salvo se se tratar de um idealista incurável com problemas de visão), porque até pode ser que Armando Nascimento Rosa, como todos os que habitualmente somam prémios literários apesar do anonimato exigido, seja genial e eu seja bem fraquinho... Mas não sei se Aldónio Gomes, que tive o prazer de conhecer de perto há muitos, muitos anos, com quem contactei variadíssimas vezes, não torceria o nariz perante esta estranha - porque é estranha, sejamos honestos - tendência para os mesmos, sempre os mesmos, talvez por serem muito bons e os restantes mais fraquinhos, somarem prémios literários apesar do anonimato que implicam estes concursos. Rouba-me a vontade de escrever e faz-me pensar... Bem vistas as coisas, o prémio, talvez mais do que todos os restantes concorrentes serem bem fraquinhos, é efetivamente mixuruca como não me recordo de ver e eu, todos nós, os que concorremos, somos culpados do facto de termos concorrido: independentemente de tudo o que nos possam roubar, ninguém nos pode roubar essa culpa. Os meus parabéns a Armando Nascimento Rosa e à Universidade de Aveiro.

5 Comments:

Blogger Fernanda Brasete said...

Pelos menos o mixuruca Prémio Literário Aldónio Gomes foi honrado pela sua tricandidatura.

10:39 da manhã  
Blogger Fernanda Brasete said...

já agora mais um comentário "off record": o Prémio "mixuruca a que se refere foi noticiado também pelo Conselho de Reitores (CRUP)
http://www.crup.pt/pt/imprensa-e-comunicacao/recortes-de-imprensa/1334-premio-literario-aldonio-gomes-atribuido-a-armando-nascimento-rosa

9:37 da tarde  
Blogger Jorge Simões said...

Bom dia, Fernanda Brasete. Obrigado pela visita. A minha tricandidatura foi um erro e já o admiti. Entretanto, a Fernanda (que parece enervar-se um pouco, deixando comentários "off the record" "on the record" sobre o CRUP - que para mim tem a validade de um CREPE) tem ligações à Universidade de Aveiro. Palavras para quê?

12:09 da tarde  
Blogger Fernanda Brasete said...

Meu caro, não é uma questão de nervos, não é uma questão de respeito pela academia, e pura e simplesmente Os maiores êxitos para os seus escritos!

2:31 da tarde  
Blogger Jorge Simões said...

Não entendo bem a redação, mas parece-me entender que, ganhador ou não ganhador (e o meu erro, como o de outros, é imaginar que há concursos literários que não estejam decididos à partida), não deixa de apreciar o que escrevo. Se assim for, naturalmente agradeço. Por acaso, acho que com o prémio a ser atribuído no Dia Mundial da Poesia, um prémio atribuído a um poeta não teria ficado mal de todo. O romance com que concorri, bom, questão de gosto, também não tenho a experiência normalmente necessária a um romancista com R maiúsculo, portanto seja... O ensaio com que concorri, acho que tinha mesmo interesse. Acho que continua a ter, aliás. Mas como os júris são soberanos para o bem e para o mal...

3:41 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

advertising
advertising Counter