terça-feira, junho 07, 2011

Portugal acordou de cara lavada 3


Temos, agora, pela frente, anos de mudanças revolucionárias que não chamaria ideais e sim forçosas. Outra opção seria a nossa albanização.
Gostei das declarações extremamente responsáveis de Passos Coelho e Paulo Portas, os futuros primeiros-ministros de Portugal. Gostei, mais que da histeria habitual das hostes de arcanjos negros socialistas, do tom realista das palavras, das expressões, do não embandeirar em arco num momento em que apenas um louco - sabemos quem - o faria, da esperança num futuro se todos formos capazes do trabalho, honestidade e atitude positiva que tanto e há tanto têm vindo a faltar.
Há duas mensagens que, também eu, gostaria muito de deixar. Uma para Passos Coelho e outra para Paulo Portas.
Ao primeiro digo que, não se esgueirando da imagem de honestidade que quis transmitir, se consiga livrar da máquina pesada e contraditória do seu partido. Recordo-lhe ainda que é mais que provável que tenha recebido um bom número de votos que legitimamente caberiam ao CDS PP e que não o deve esquecer. Ao segundo que, não se esgueirando da imagem de honestidade que quis transmitir, deixe campo livre a muitos e extremamente competentes parceiros de partido para que efectivamente participem, colaborativamente, no futuro de Portugal - digo-o, tendo perfeitamente em conta que Portas é efectivamente um líder de gabarito e que há no seu partido um verdadeiro trabalho de casa sempre bem feito e em boa colaboração. Enfim, ainda para Portas, o meu pedido pessoal de que não se deixe envolver num tipo de papel sisudo e secundarizado que não é naturalmente o seu e que aceitou no nada saudoso governo do anafado Durão Barroso, o sempre presente representante de uma Europa que deveria existir em lugar de brincar ao faz-de-conta. (a continuar)


Imagem de:http://g1.globo.com. 

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

advertising
advertising Counter