domingo, setembro 27, 2009

Mais quatro anos atolados no lodaçal

O povo decidiu
O povo subsidiado
O povo ludibriado
O povo psicotizado
Mais quatro anos de energúmenos
De Gualters, Margheritas, Pedrosas
Terra de pedra
Terra de calhaus
Mais quatro anos de roubos a céu aberto
Mais quatro e o futuro a arder
E por isso a poesia a morrer
(escrita automática à visão das primeiras sondagens oficiais)

3 Comments:

Blogger Aline Venâncio said...

gostei mto da leitura =)
seguindo...

4:35 da manhã  
Blogger POS said...

Escrita claramente automática. Gostava de saber a quantidade de profes que, votando PS, contribuiu para estimular a tua criatividade.

Abraço

6:55 da tarde  
Blogger Jorge Simões said...

Olá, mano. Hmm... Não conheço nenhum - professor, não profe :). Mas é sabido que há alguns masoquistas entre nós. Isto tem mais a ver com a lavagem cerebral disparatada que atingiu Portugal nos últimos quatro anos. E com um país em que Salazar foi eleito o "maior português". Assim, qualquer salazarzinho se safa excelentemente - e, pior, todos os seus energúmenos. De resto, se bem que Sócrates nunca possa vir a ser perdoado pelos seus excessos, não vejo que se trate de alguém particularmente competente, bem pelo contrário. Além de considerar que se trata de um treinador que, contrariamente, por exemplo, a um Scolari, estimula os piores instintos dos jogadores e os põe a jogar pessimamente, mas com a alucinação de que nunca jogaram tão bem. Finalmente, não considero Sócrates particularmente inteligente... Basta ver a forma como se repetiu ao longo da campanha. Mas é possível que seja eu que sou pouco inteligente na minha não-compreensão do povo que demonstramos ser. Abraço.

11:47 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

advertising
advertising Counter