segunda-feira, julho 13, 2009

Oração





Olho em redor e vejo gente normal
Passam, conversam, odeiam, amam, morrem
Gente que existe, uns param, outros correm
Sorrindo à singeleza do dia-a-dia igual

São gente simples, com forças e fraquezas
Os filhos pequenos correndo no passeio
Almoços ao domingo com algum vinho de permeio
Gente normal e eu preso às profundezas

Onde eu habito tudo é fogo e escuridão
Fundos soluços e correntes a arrastar
E se me ergo arduamente, a tropeçar
Cem mil demónios me apertam o coração

Que Deus me ajude a saber ser invisível
A merecer o ar incerto que respiro
A fazer compras e a dormir sem um suspiro
A amar quem amo sem tremores e culpa horrível


Imagem de: http://i8.photobucket.com.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

advertising
advertising Counter