terça-feira, abril 07, 2009

Melro de bico amarelo





Melro de bico amarelo
A que a cabeça não dói
Nem ideia alguma mói
Na mó do tempo novelo

Passaste tão brevemente
Que já não sei se és real
Ou uma imagem no caudal
Do rio que arrasta a mente

Fundido com o céu cinzento
No teu bate-asas fugaz
Estavas cá e já não estás
Gémeo perfeito do vento

Quem dera ser teu irmão
Sem trabalho de viver
Sem a cabeça a doer
Uma pena em flutuação


Imagem de: http://sitiodoshaicais.blogspot.com/.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

advertising
advertising Counter