sexta-feira, abril 10, 2009

Baía





Havemos de morar numa baía
Perto de um porto fervilhante
Mas, ainda assim, algo distante
Toda ela envolvida em maresia

Com aves coloridas saltitando
Entre as ramagens dos pinheiros mansos
Inteiramente embrulhadas nos remansos
Da luz tão branca, tudo calcinando

Nas cercanias da nossa habitação
Entre ruínas e fontes antigas
Pelas planícies largas, ressequidas
Escutar-se-á dos grilos a canção

Bem perto, em estradões estreitos
Passarão automóveis raramente
E burros caminhando lentamente
Ao som vizinho de ondulares desfeitos

O dia azul nunca será de breu
O dia sempre, tão mediterrâneo
Como um retrato nosso, um instantâneo
Do tempo que inventamos, tu e eu


Imagem de: www.footscapesofcrete.com.

1 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Olá

A tranquilidade que transmites é, sem dúvida, apetecível.

Parabéns pelo trabalho.

Beijinho

Luísa

2:26 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

advertising
advertising Counter