sexta-feira, novembro 14, 2008

O homem velho (a Caetano Veloso)





Oblongas barbas brancas em escavada face
E olhos fundos de alegria e de tormento
Onde a paz se instalará enfim, rapace
Como um dilúvio branco que lava o pensamento

O homem velho segue a vida lentamente
Como um rio seco que já tudo percorreu
E encara o mundo em cada dia intermitente
E em instintiva paz combina luz e breu

Se tudo é ilusório, temporário
Se fluem os caudais sem rumo definido
Se tudo deixa aos poucos de ser necessário
Se cada decisão é um gesto indecidido

Que resta senão o nirvana ao homem velho
O éden do que é simples e sem amanhã?
A vida é um longo sono muito aquém do espelho
E todos os reflexos se diluem na manhã


Imagem de: www.picturesofjesus4you.com.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

advertising
advertising Counter