quinta-feira, maio 04, 2006

Porque choras a solidão?


Porque choras a solidão?
Não há quem não seja só.
Não há quem não monologue.
Julgas estar acompanhado
Por quem te rodeia e odeia,
Por quem te deseja e abraça?
A lua está só no céu,
As galáxias, Deus também...
Ouves as pedras gemer?
Escutas queixas dos cometas?
Cada percurso é exclusivo,
Pouco importa se o universo
É feito da mesma massa.
Porque a choras, então?
Só ela nunca te deixa,
Só ela sempre te abraça,
Nas multidões e nos ermos.
Ri-te com ela e dela,
Só ela é certa na vida...
Nada mais podes fazer.


Imagem de www.webshots.com (foto de Kennan Ward).

3 Comments:

Blogger Lila Magritte said...

Nao há quem nao monologue. É maravilhosamente certo, podemos falarnos e ouvir nossos segredos com atencao.
E a lua sempre esta lá com os brazos abertos.

Gostei muito do teu poema.

Beijos.

10:33 da tarde  
Blogger Jorge Simões said...

Obrigado. Quero apenas agradecer a vossa presença e os comentários que vão deixando, ao mesmo tempo que peço desculpa por raramente responder. Um abraço para ti e para todos. :)

11:29 da manhã  
Blogger Maria P. said...

Do mais belo que hoje podia ler!

um beijo, poeta

8:32 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

advertising
advertising Counter