segunda-feira, maio 29, 2006

No fundo dos blues contra um fundo azul


Só peço para ser transportado para a dimensão dos blues...
Molemente, docemente, lentamente e a sorrir,
Com a raiva e o fulgor que são o gozo do carpir.
Quero chorar borboletas no fundo da digestão,
Sofrer do alívio cruel de nunca haver amanhã,
Nem anteontem, nem hoje, nem tempo algum previsível,
Salvo o tempo exacerbado de cada som intangível,
Salvo o grito da guitarra suplicando a salvação...
Tanta alegria e tristeza, tão abstracta confusão,
Tragam-me o capitão Kirk, quero a teleportação!
Não fico nem mais um compasso.
Diluam-me em sensação...


Imagem de www.boyleroy.com.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

advertising
advertising Counter