segunda-feira, maio 01, 2006

Encontro com o coiso


Não me dei ao trabalho
De colocar maias nas janelas.
Quando regressar a casa
Encontrarei, provavelmente,
Um sósia ou clone de Mr. de Niro,
Mãos em leque diante da barbicha,
Perna cruzada e sorriso vagamente misterioso.
Vim buscar a tua alma,
Dir-me-á, cheio de certezas.
A alma? Já saiu na Scientific American?
Cerrará as sobrancelhas e fará um gesto de mão:
Vá! Faz o favor de te assustares!
Sou o demo! O anjo irado! O mestre dos dias escuros!

Poderei, então, assustar-me um pouco. Se me apetecer...
Trazes algum documento oficial? Trata-se de uma coima?
Não puseste maias nas janelas, soletrar-me-á.
Olha, deixa-te de histórias e bebe antes um copo,
Fuma um cigarro, conversa um bocadinho...
A eternidade é longa e podes-te aborrecer.
Olharei para o relógio e explicarei pacientemente:
Já estamos no século XXI.
Ainda acabo a ter de o consolar, limpar-lhe umas lágrimas rebeldes...
Sabes? Tenho a certeza que sabes ser insuportável...
Não duvido que ainda consigas atormentar uns quantos maus.
Ele olhar-me-á com uma candura que o deixará embaraçado:
Achas mesmo? Não estou decadente, um pobre diabo?
Então, colocando-lhe a mão sobre o ombro, dir-lhe-ei:
Não. Só tens que procurar nos sítios certos.
Moderniza-te, informatiza-te, faz um estudo de mercado!


Imagem original de www.dvdessential.it.

2 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Com esse tratamento de imagem, o De Niro parece o João de Deus Pinheiro...

Andy Williams II

5:36 da tarde  
Blogger Jorge Simões said...

Eheheh. Bom, há por aí centos de gente mais diabólica que o João de Deus Pinheiro.

6:31 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

advertising
advertising Counter