quinta-feira, abril 27, 2006

Um certo capitão incerto


É o tempo que me move
A terra, se abalada
A sucção do imenso nada
É o vento que me move
Sou um certo capitão
Sem armas, sem armadura
Sou tudo o que não perdura
Um incerto capitão
Roubaram-me os meus galões
Declararam-me traidor
Chamaram-me sonhador
Chamaram-me idealista
Chamaram-me egocentrista
Roubaram-me os meus galões
Quem o fez, não sei ao certo
Não tenho nada a perder
Não tenho nada a temer
Não tenho nada a dizer


Imagem de www.analogintelligence.co.uk.

2 Comments:

Blogger Lila Magritte said...

No tengo nada que perder, sólo la vida y la poesía.

10:52 da tarde  
Blogger Lila Díaz said...

El tiempo nos va robando todo, lentamente.

1:18 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

advertising
advertising Counter