segunda-feira, maio 03, 2010

Casas





As nuvens soltas sobrevoam caladas
Os meus sonhos repetidos arquitectónicos
Que, à partida, parecem autistas, autonómicos
Mas são,na verdade, linhas partilhadas

Rodeiam-nos casas, como quem diz o amor
Tal como o conheço, pura pulsação
E ressoa na memória uma canção
Que ouvimos à noite no computador

We live in a beautiful world, e depois
Fluem imagens e sons e o futuro
E o que para outros é cimento duro
É, para nós, espaço e conforto a dois

As casas como ideias à solta no olhar
Que a noite no seu aconchego encerra
Como que abarcando todo o mar e a terra
As casas como nuvens a sobrevoar


Imagem de: www.vertechinc.com (de Frank Lloyd Wright).

2 Comments:

Anonymous Tuamaiorfã said...

Havemos de conseguir.

Pelo sonho é que vamos...
O mais importante é o caminho partilhado...seja ele qual for!

Um beijo grande e obrigada pelo lindo poema!!!

Tuamaiorfã

12:35 da manhã  
Blogger Jorge Simões said...

Pelo sonho é que vamos... e pela realidade! Um beijinho grande do poeta e do sujeito poético.

10:41 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

advertising
advertising Counter