segunda-feira, abril 12, 2010

Ainda mais um para o Alexandre





Escrevi-te poemas
Começando no passeio
Ao longo do corredor do hospital
Versos, sempre tu nos temas
Que ia imaginando de permeio
Quando colhias conchas no areal
As danças, tu ao colo, que dançámos
Tu experimentando dialogar
Os teus primeiros passos neste mundo
As brincadeiras tolas que inventámos
As histórias que arranjei para te contar
Os olhos das infâncias, quê rotundo
E queria dar-te mais, o que não posso
E o que posso mas me esqueço no universo
A protecção do mundo imundo e grosso
A salvação de um imenso abraço, um verso

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

advertising
advertising Counter