segunda-feira, novembro 16, 2009

Não corras





Não corras de rush matinal
Aos ritmos da tempestade
Que nas ruas da cidade
O passeio, o patamar,
As casas, estão no lugar
E a chuva cai sempre igual

Não se encurtam os segundos
Nos ponteiros da agudeza
Que não corrompe a beleza
Do fluir das estações
Nem pressas, nem lentidões
Tão regulares nos seus mundos

Não agarres comoções
Como quem persegue a vida
Como se fora a corrida
Se todos os elementos
Desde sempre existem lentos
Como Deus e as criações


Imagem de: http://melancholy-gretel.com.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

advertising
advertising Counter