segunda-feira, junho 22, 2009

Ausência da saudade





Não tenho saudades de nada
Nem do Verão, nem do Inverno
Da infância e da velhice
Do que algum dia eu já disse
Do céu mental, do inferno
Da vida futura e passada

Sinto como um filme a estrada
O sol em brilhos difusos
A chuva levada no vento
Os ritmos do crescimento
Os dias que passam confusos
Não tenho inveja de nada

Invejo só as aves talvez
Saltitando no relvado
Invejo-as com um sorriso
Vivem num paraíso
De memórias sem passado
Não devo ser português


Imagem de: http://user.it.uu.se.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

advertising
advertising Counter