segunda-feira, fevereiro 18, 2008

Milhões de eus





Há estátuas, em pedra, mármore, gesso, estátuas materiais,
Nomes de travessas, ruas, avenidas, becos inclusive,
Escolas, aeroportos, portos e telas em museus,
Páginas de livros, áudio, vídeo e celulóide, todos os suportes
De homens e mulheres perenes e os seus fantasmas...
E depois, há milhões de eus como grãos indiferenciados
No grande areal que erode o oceano fundo
E molha de lágrimas salgadas todos os nados-mortos.


Imagem de www.pennyrene.com.

3 Comments:

Anonymous lissandra said...

Olá Jorge

Seu bolg é lindo, um conjunto perfeito de poesias e fotos.
Gostei de todas as poesias, porém, minha preferida foi "LUAS" SIMPLESMENTE LINDA!
Voltarei outras vezes.

Beijos!!!

8:43 da tarde  
Blogger Jorge Simões said...

Muito obrigado pelo comentário. Aproveito também para agradecer os comentários que aqui me vão deixando ocasionalmente, sempre me dão força para continuar. Abraços.

12:39 da tarde  
Blogger Lila Magritte said...

Abrazos, poeta, la escritura salva.

9:00 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

advertising
advertising Counter