terça-feira, maio 01, 2007

Poema do Primeiro de Maio




Esqueci-me das maias este ano...
Esqueci-me, ou melhor, tanto se me deu...
Quando estou assim, é o vento que me leva
E a treva do dia escuro como breu.
Uma empregada, lenta e ineficaz,
Traz-me um café neste dia que é o seu,
No dia de todos os trabalhadores,
Dos acorrentados às dívidas mensais,
Dos engaiolados, dos chicoteados
Pela própria vida em golpes mortais.
Esqueci-me das maias este ano...
E deve ser por isso que as bruxas me perseguem
E os negros fantasmas da normalidade
Com a civilidade das coisas banais...


Imagem de www.sunset.com.

2 Comments:

Blogger Bruxinhachellot said...

A melhor parte de quando esquecemos de algo é lembrar que ele existe.
Bom feriado.

Beijos de ar.

8:29 da tarde  
Blogger Lila Magritte said...

Saludos, poeta y que nunca lo abandone la poesía, aunque duela.


Abrazos.

1:41 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

advertising
advertising Counter