terça-feira, novembro 21, 2006

Tempo outonal


A monotonia asténica dos dias sem idade
De Outono, a cada passo mais nocturnos,
Espelha-se nos olhares esguios, soturnos,
De quem nas ruas arrasta normalidade.

Até os mendigos se escondem em entradas,
Imóveis, à espera de sopa e de alento,
E tudo estaca, inclusive o vento,
E os ricos resguardam-se em salas fechadas

A chuva esconde-se nas nuvens, ao fundo,
Como envergonhada da cinzentidão
Que cobre o universo de solidão...

E o tempo discorre, tão lento e perdido
Que tropeça nas horas. Vai distraído
E quase desmaia, como as cores do mundo.


Imagem de http://isobe.typepad.com.

2 Comments:

Anonymous Luís said...

E o tempo discorre, tão lento e perdido...

12:56 da manhã  
Blogger Maria P. said...

Eu gosto do Outono:)

Aqui estão bem esboçados os seus contornos.

beijinho (padrinho)

12:18 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

advertising
advertising Counter