terça-feira, julho 04, 2006

A vérmina


Sente o cheiro pútrido das lixeiras do Verão frio:
Sente a vérmina, feliz, entre os despojos do dia!
Do nariz até ao cérebro, instalados no conforto,
Os bichos perfuram a massa, engenheiros neuronais.
Mexem-te aqui para sorrires. Tocam-te ali para chorares.
Desligam-te com sapiência os centros de observação.
Zangam-te quando o entendem, dão-te um boné e um casse-tête.
Cegam-te e admiras a sua perfeita sincronia...
A vérmina nossa, multiplicada em cada dia.


Imagem de www.bryce-alive.net.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

advertising
advertising Counter