quinta-feira, junho 29, 2006

Não escrevo poemas de amor


Não escrevo poemas de amor
Que a chuva lava os passeios
O frio devora o calor
E os belos podem ser feios

Não escrevo poemas de fé
Porque a areia cobre os prados
O que é absoluto, não é
E os deuses morrem calados

O que escrevo é sem idade
Filmes, fotos, sensações
Calmarias, furacões

Que tudo cobrem de sal
De vazio universal
Campos de infertilidade


Imagem de www.stchas.edu.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

advertising
advertising Counter