segunda-feira, março 22, 2010

Prometo rir e folgar





Prometo rir e folgar
Do sol flor ao sol alvar
Beijar cada palmo de estrada
Cantar cada nota inovada
No dia da revolução
Cento e oitenta graus de paixão
Um Deus que conheça a emoção
Os dilúvios da existência
Varridos da consciência
O fim da ciência, aliás
E eu folgarei, dançarei
Num mundo sem regras nem lei
Folgarei como um rapaz
Conviverei com os escravos
Darei a mão aos libertados
Em mundos iluminados
Pela concórdia permanente
Folgarei com os desgraçados
No tempo como água corrente


Imagem de: www.ibiblio.org (tela de Bruegel).

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

advertising
advertising Counter