quarta-feira, abril 23, 2008

Tic-tac





No tempo em que a minha ambição era crescer
Escrevi uns versos que diziam tic-tac.
O meu pai guardava-os num recanto da carteira,
Mostrava-os a amigos que exclamavam oh e muito bem,
Eram uma graça com os meus desenhos de dinossauros.
O tempo cresceu num tic-tac ensurdecedor
E arrumou todos os vivos nas gavetas da memória...
Que é feito das sinfonias que escutava com meu pai
Enquanto a minha mãe se atarefava na cozinha?
Foram todas para o céu exacto dos metrónomos
Em tic-tacs que enlouquecem quem já não as ouve.


Imagem de: http://forum.aceboard.net.

1 Comments:

Blogger Fe Davidoff said...

Olá.

Comecei hoje um novo blog com minhas poesias. Adicionei seu link lá, espero que não se importe.

Fique a vontade para visitar e comentar, será sempre bem-vindo.

3:33 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

advertising
advertising Counter